HOW TO SHOP

1 Login or create new account.
2 Review your order.
3 Payment & FREE shipment

If you still have problems, please let us know, by sending an email to support@website.com . Thank you!

SHOWROOM HOURS

Mon-Fri 9:00AM - 6:00AM
Sat - 9:00AM-5:00PM
Sundays by appointment only!

MINICURSOS

Ementa: Os remédios Florais de Bach como auxiliar da melhoria da qualidade de vida por meio da harmonização das dimensões emocional, mental e espiritual. As essências florais foram incluídas no relatório anual da OPAS de 2006 entre as práticas complementares com crescimento progressivo no atendimento à populações com dificuldade de acesso aos serviços de saúde (PAHO, 2006). Conteúdo Programático: 1- A evolução do conceito de doença e saúde no paradigma quântico - Apresentar de forma sucinta a evolução do pensamento da ciência ocidental até o surgimento do conceito de universo quântico (CAPRA, 2000, 2004). Apresentar os características essenciais da Ciência da Complexidade e discutir a saúde como resultante de um Sistema Dinâmico Complexo Adaptativo (SDCA), constituída por vários elementos (espiritualidade, saúde mental, qualidade de conexão consigo mesmo, emoções positivas, capacidade de auto-observação, prática espiritual ou religiosa, dentre outros) (RESNICOW; PAGE, 2008). 2- O conceito de Doença e Saúde como equilíbrio corpo, mente e espirito. Discutir a relação entre o bem estar espiritual e os Florais de Bach, a partir dos postulados elaborados pelo Dr. Bach que afirmava que a doença não pode ser curada nem erradicada por métodos materialistas, pelo fato de sua origem ser imaterial. BACH(2006). 3- O sistema de remédios florais de Bach. Apresentar as 38 essências que constituem o sistema mais o remédio emergencial, o rescue remedy, seu preparo e mecanismo de ação. (VALVERDE, 2000; BACH, 2006). Discutir detalhadamente as indicações e modo de usar dos 12 curadores (impatiens, mimulus, clematis, agrimony, chicory, vervain, cerato, sclerantus, water violet, gentian, rock rose, centaury (Bach; 2006).
Ministrante: MOEMA DA SILVA BORGES
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Salão Jacarandá - Sala 01 - Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 6

Ementa: A Nova Craniopuntura de Yamamoto (NCY) também conhecida como Yamamoto New Scalp Acupuncture (YNSA), Craniopuntura Japonesa ou Escalpeana, surgiu no ano de 1973 pelo Dr. Toshikatsu Yamamoto. A técnica consiste na puntura superficial de pontos específicos na região craniana. Este minicurso tem como objetivo demonstrar um microssistema de grande potencial terapêutico e de baixo custo, além de fácil aplicação. Durante o minicurso abordaremos o conceito básico sobre microssistemas; a história e o conceito básico sobre a técnica; Identificação das áreas de estimulação e das áreas correspondentes (pontos básicos, pontos sensoriais, pontos cerebrais, pontos Y e pontos dos referentes aos nervos cranianos); Apresentação sobre as indicações, contraindicações e cuidados referentes a técnica; Zonas para diagnóstico (diagnóstico abdominal e cervical); Breve apresentação de artigos científicos nacionais e internacionais recentes acerca da técnica da NCY e pequena discussão acerca dos trabalhos desenvolvidos pelo grupo. Será ministrado uma pequena prática, na qual os alunos participantes do curso poderão receber a aplicação da técnica (será realizado um sorteio para aplicação em alguns alunos), com o objetivo de conhecer a aplicação e efetividade da craniopuntura japonesa.
Ministrantes: ALEX CORRÊA DE MACEDO; LUANA BORGES DUTRA; RAPHAEL NEVES BARREIROS
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Salão Jacarandá - Sala 02 - Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: O crescente uso e oferta das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) nos serviços públicos tem estimulado gestores e profissionais a discutirem os seus custo-efetividade. Em especial, diante da atualização da Política Nacional em 2015 e ampliação do rol de práticas presentes na Tabela SUS em 2017, por meio da Portaria Nº 145. No entanto, a maioria dos estudos em economia da saúde não trata deste tema e os métodos são, em geral, mais voltados para os estudos biomédicos. Assim, é importante discutir de que modo os recursos da economia da saúde podem contribuir para o desenvolvimento de estudos em PICS. A partir de uma experiência prática, este minicurso, com duração total de quatro horas, propõe-se apresentar os conceitos básicos de economia da saúde e, posteriormente, enfocar a apuração de custos, a partir da definição de gastos e sua tipologia e métodos de apuração. Como componente prático, será apresentado como estes métodos podem ser aplicados às PICS.
Ministrantes: Camilla Maria Ferreira de Aquino; Adriana Falangola Benjamin Bezerra; Manoel Raymundo de Carvalho Neto.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Salão Cedro - sala 01 -Praiamar Natal Hotel e Convention
Importante: ministrante solicita que os participantes inscritos no minicurso levem consigo uma calculadora.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 30

Ementa: Como ter em nossa sociedade crianças felizes e saudáveis? Esta é uma pergunta complexa e com possibilidade de amplas respostas. Dentre as possibilidades, apresentamos as Práticas Integrativas/Complementares em saúde (PICs), consideradas como estratégia de mudança no padrão biologizante e medicalizante do cuidado e da promoção da saúde, com repercussão efetiva na aprendizagem. A visão ampliada proporcionada pelas Práticas Integrativas/Complementares em saúde deve orientar ações de atenção à saúde da criança, isto porque a preocupação de profissionais da educação e da saúde, pais e professores, com o comportamento das crianças nos ambientes de aprendizagem, relacionados à dificuldade de aprendizado e concentração, bem como comportamentos relacionados à violência, tem sido motivo de atenção e discussão familiar e profissional. O minicurso apresentado trata de um espaço pedagógico, cuja abordagem se detém sobre as crianças do século XXI e as Praticas Integrativas/Complementares em Saúde. Observam-se atualmente crianças com perfil diferenciado, apresentando comportamentos que fogem à compressão de profissionais da saúde e da educação, pais, familiares e gestores. Conhecidas como criança índigo e cristal, são consideradas por estudiosos, como crianças com habilidades especiais, e que têm por objetivo a preparação de um novo tempo para a Humanidade. Essas crianças apresentam comportamento sensível, desenvolvimento profundo de questões ético-morais e personalidades peculiares que possibilitam facilmente sua identificação em relação a outras crianças. Segundo os investigadores desta temática, podem ser identificados quatro perfis de crianças: Humanistas, Conceptuais, Artistas e Interdimensionais. Acredita-se que essas crianças seriam as responsáveis pela introdução de novas filosofias ou espiritualidade no mundo. Seus comportamentos chamam atenção pela dificuldade de se adaptarem aos métodos de educação atual, o que pode gerar impressões e diagnósticos errôneos pela ciência e educação atuais, desencadeando um processo de cuidar inadequado por parte de profissionais da saúde e de educadores. Assim sendo, o minicurso pretende discutir sobre o tema e como as Praticas Integrativas/Complementares em Saúde podem ajudar no processo de cuidar dessas crianças; reunir interessados no tema, como profissionais, docentes e discentes da saúde e da educação, entre outros; ampliar as possibilidades de conhecimento e compreensão das necessidades dessas crianças, bem como de suas potencialidades enquanto cidadãos.
Ministrantes: Regina Helena Nasser dos Santos; Hylarina Maria Montenegro Diniz Silva.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Salão Cedro - sala 02 -Praiamar Natal Hotel e Convention.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: -1

Ementa: A ecologia espiritual e cuidado do ser humano na relação do binômio saúde-doença para manutenção de um sistema sadio e o não adoecimento. A ecoespiritualidade e a sensibilidade à nova cosmologia tratada no cuidado. Saberes e práticas da Espiritualidade na tradição do cuidado na saúde. A compreensão da diversidade de sentidos saúde-doença no olhar da subjetividade, multidimensionalidade e complexidade humana e as possibilidades terapêuticas resolutivas. Compreensão do conhecimento interdisciplinar e transdisciplinar das práticas terapêuticas e a implicação do que move na estória de cada pessoa no seu processo de aprendizagem contínua de cura e autocura. A convivência sadia e a adoção das práticas integrativas na relação doença-cura, no cuidado e autocuidado emancipatório do ser na relação consigo, com o outro, e com a comunidade, vivendo a equanimidade no cotidiano destas relações. Observação do ser numa jornada de equilibrações-desequilibrações. Interação dialógica da temática e dos mitos que movem ação humana e levam o ser na produção de um olhar para fora de si. A inconsciência em si próprio. O mergulho do ser no espaço interior. Constituição dos corpos do ser e movimento de expressão destes corpos. Consciência dos pensamentos e emoções. Relação consciência e presença. Vivenciando a consciência da presença de si nos acontecimentos espontâneos, na inteireza do corpomenteespírito e harmonização com a natureza e seus elementos. Corpo, deriva e subjetividade. Integração dos corpos, e a vida transcendente manifesta no todo e nas partes. Fenomenologia da percepção nas abordagens compreensivas da vulnerabilidade, aceitação, imperfeição, inclusão e amor. Cartografando no desconhecido manifesto pelo movimento autentico. Dançando com a energia da potência do ser. Referencias em Edgar Morin, Arne Naess, Joana Macy, Carl Gustav Jung e Leonardo Boff.
Ministrante: Priscylla Lins Leal.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Salão Cedro - sala 03 - Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 11

Ementa: Discutir a compreensão sobre o adoecer humano no pensamento de Edward Bach. Apresentar o sistema Floral. Prática e manejo clínico com estudos de casos e literatura científica. Será utilizado como apoio metodológico aula expositiva-dialogada, com uma prática vivencial. Esperamos que os participantes possa compreender outra dimensão do cuidado, a partir de outra percepção do adoecimento humano, e desperte para outras ferramentas vibracionais tanto para si quanto para outro.
Ministrantes: Rogelia Herculano Pinto; Sueli Moreno Senna; Jefferson Barbosa da Silva.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Salão Cedro - sala 04 - Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 28

Ementa: Apresentar e discutir a metodologia da Prática Baseada em Evidências (PBE) nas Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) e sua aplicabilidade. A PBE caracteriza-se como a utilização das melhores evidências científicas disponíveis na tomada das decisões clínicas na área da saúde. Aprender a fazer uma busca nas bases de dados e periódicos científicos, avaliação crítica dos artigos (risco de viés), classificação da qualidade da evidência e validação das informações científicas para tomada de decisão clínica na prática em saúde. Essa última significa aprender a ler e extrair informações de ensaios clínicos, revisões sistemáticas com e sem metanálise e diretrizes clínicas. Nesse sentido, proporciona-se a compreensão a partir da contextualização conceitual da PBE e sua aplicação na PICS.
Ministrante: Rodrigo Gustavo da Silva Carvalho.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Salão Cedro - sala 05 - Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Trata-se de uma técnica de assistência à saúde que utiliza ímãs, não eletrificados, em determinadas áreas do corpo com o intuito de tratar enfermidades sejam de ordem física, sejam de ordem emocional. É uma terapia alternativa/complementar amplamente difundida pelo mundo em virtude do grande índice de resolutividade, sem efeitos colaterais e não invasiva. Este minicurso objetiva divulgar a técnica entre os interessados e ensinar-lhes preceitos básicos sobre o Biomagnetismo. Será constituído de metodologia ativa vivencial, onde serão abordados preceitos teóricos e atividades técnicas da técnica, ensinando aos participante manejos básicos de como fazer um rastreio para detecção das regiões afetadas do corpo. Criada por um médico mexicano chamado Isaac Goiz Durán, em 1988, a técnica se difundiu rapidamente, em virtude da sua eficácia no combate a inúmeras patologias complexas do mundo contemporâneo. Utilizando ímãs em pares e por meio de uma técnica de avaliação diagnóstica, relativamente simples, é possível detectar e tratar inúmeras enfermidades sejam virais, bacterianas, fúngicas e parasitárias em geral. Acredita-se que todas as doenças possuam um ou mais pares biomagnéticos (regiões onde são colocados os ímãs em pares) e que no futuro será possível detectar e tratar a maioria das enfermidades que assolam a humanidade. Hoje são inúmeras as patologias tratadas por esta técnica, entretanto é muito maior o número de pessoas coalescentes. Sendo assim, espera-se que este minicurso venha a suscitar o interesse em conhecer, por parte dos participantes, mais ainda está técnica e que seus corações sejam tocados para no desejo de fazer o bem e aliviar o sofrimento daqueles que sofrem com tantas doenças, sejam de ordem física, sejam emocional, sejam de dores da alma.
Ministrante: Hérica Paiva Felismino
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Salão Cedro - sala 06 - Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: O minicurso trata dos conceitos básicos da auriculoterapia com base em suas principais teorias: Medicina Tradicional Chinesa, Reflexologia e Biomedicina. Objetivo: compreender os fundamentos básicos da auriculoterapia com base na medicina tradicional chinesa, reflexologia e biomedicina. O conteúdo programático será formado história, métodos de avaliação e tratamento na auriculoterapia; pelas teorias do Yin-Yang, dos 5 movimentos e do Zang-Fu que fazem parte da medicina chinesa; a anatomia do pavilhão auricular e a reflexologia; nocicepão e sistema límbico na neurofisiologia; identificação dos principais pontos auriculares. Metodologia: os conteúdos serão desenvolvidos por meio de apresentação oral, utilizando-se material didático impresso e de multimídia. Durante a apresentação, os participantes serão incentivados a fazer intervenções e a interagir com os professores para tirar dúvidas, complementar informações e trocar experiências. Avaliação: ao final do mini-curso, os participantes poderão avaliar os resultados obtidos, em função de suas expectativas e dos objetivos do mini-curso.
Ministrantes: Raphael Paschoal Serquiz; Cleyton Cézar Souto Silva.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 01 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: O objetivo geral deste minicurso é oferecer condições teóricas e metodológicas que permitam o uso de técnicas respiratórias do Yoga na atenção à Saúde como prática complementar. Técnicas respiratórias do Yoga denominadas de pranayamas associam a ação mental voluntária sobre os ciclos respiratórios. Essa intervenção envolve o controle do padrão respiratório, associando pausas inspiratórias aos ciclos prolongados de inspiração e expiração. Técnicas de respiração do Yoga tornaram-se cada vez mais populares nas últimas décadas e podem ser utilizadas como terapias complementares com os tratamentos convencionais, principalmente diminuindo o nível de stress, ansiedade, e outros problemas. Os exercícios respiratórios do Yoga são exequíveis e podem melhorar a função pulmonar, além de melhorar a qualidade de vida. Mudanças na força muscular e velocidade dos músculos podem ser influenciados pelas técnicas de respiração do Yoga. No entanto, existem indicações, contraindicações e condições para o uso destas técnicas respiratórias. Os efeitos benéficos das técnicas de respiração são suportados pela ciência contemporânea. O desenvolvimento de tecnologias mais avançadas e estudos em fisiologia integrada com grupos multidisciplinares têm relacionando respiração, estados emocionais e seu resultado na dinâmica da nossa fisiologia, reafirmando o que a experiência milenar do Yoga vem preconizando. Portanto, podemos usar técnicas respiratórias do Yoga na atenção à Saúde. Este minicurso tem o seguinte conteúdo programático: as contribuições da Ciência para aplicação de técnicas respiratórias na atenção à Saúde; as indicações e contraindicações de algumas técnicas respiratórias do Yoga; como aplicar as técnicas respiratórias na Saúde como prática complementar; e métodos de técnicas respiratórias aplicadas nos distúrbios de ansiedade.
Ministrante: Kliger Kissinger Fernandes Rocha
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 02 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Importante: O ministrante solicita que todos os participantes inscritos no minicurso levem consigo colchonete.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: As ações na Atenção Básica em Saúde requerem primordialmente duas condutas significativas no âmbito profissional: uma escuta aberta e livre de pré-conceitos, e a construção de um diálogo que contemple o usuário em sua totalidade biopsicossocial e espiritual, entendendo esta ultima como a maneira que o individuo compreende e administra a ocorrência dos fatos em sua vida. Neste contexto, reconhece-se que o grande contingente de informações concedidas pelo usuário, sejam elas de natureza física ou psíquica, provêm do grau de insatisfação nos setores pessoais,profissionais, e sociais. A utilização das essências florais como recurso de construção deste dialogo, permite de forma lúdica e não invasiva psicologicamente, uma maior objetividade na identificação dessas áreas que apresentam altos níveis de stress e conflito, podendo atuar como recurso terapêutico eficaz em muitas destas situações do cotidiano.
Ministrante: Tereza Cristina Machado Guimarães.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 03 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Importante: O ministrante solicita que todos os participantes inscritos no minicurso levem consigo lápis colorido e bloco pequeno de desenho

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 6

Ementa: A Ayurveda é uma racionalidade médica desenvolvida, inicialmente, há cerca de 7000 anos, hoje já presente nos sistemas de saúde de diversos países e apenas agora em 2017 foi regulamentada a sua prática pelo SUS. Visto que cada vez mais tem se tornado presente no dia-a-dia da realidade brasileira a presença de terapeutas e consultores Ayurveda formados pelas escolas brasileiras e indianas, torna-se necessário uma compreensão clara desta racionalidade médica na grade curricular dos cursos da área da saúde, residências e entre os profissionais de saúde já formados. Por ser uma racionalidade médica baseada em uma ciência com outra linguagem médica sobre a morfologia humana, a dinâmica vital, a doutrina médica, o sistema diagnóstico, a cosmologia e o sistema terapêutico, é necessário criar uma interface correlacional entre a Ayurveda e a Medicina Tradicional Moderna, para que exista uma compreensão pela população brasileira, e assim, quebrar as barreiras da linguagem e do preconceito, infelizmente ainda presentes. Como consequência, obteremos um maior entendimento da utilização terapêutica da riquíssima flora nativa e exótica brasileira, fazendo com que a medicina adquira, com o tempo, um aspecto cada vez mais preventivo. Esta oficina propõe, inicialmente, uma introdução de conceitos-chave da Ayurveda associados à compreensão da medicina moderna, como a teoria das qualidades (gunas), dos sabores e potências (rasa-virya-vipaka), dos cinco elementos (panchamahabhuta), das forças biofisiológicas (doshas) e dos processos da doença (kriya kal). Durante a apresentação destes conceitos, serão utilizados alguns materiais práticos, plantas medicinais e algumas fórmulas ayurvédicas para demonstração e experimentação. Em seguida, será abordado de forma mais aprofundada o entendimento de algumas plantas medicinais, fitoterápicos, especiarias e fórmulas fitoterápicas mais complexas, associando ao conhecimento das pesquisas mais recentes.
Ministrantes: Cyro Vidal; Luciano Jose de Matos Almeida Filho; Ludgero Lauar.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 04 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: As práticas corporais estão institucionalizadas em serviços de saúde do SUS através de programas e políticas como o Programa Academia da Saúde, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares e a Política Nacional de Promoção da Saúde e estão inseridas principalmente na rede de atenção básica, potencializando as ações de prevenção de doenças e promoção da saúde. De caráter coletivo, essas práticas cumprem um propósito terapêutico e também propiciam encontro e interação entre os praticantes, além do desenvolvimento de um vínculo horizontalizado entre praticantes e profissionais de saúde que conduzem as atividades. Sendo assim, a proposta desta oficina é discutir o modelo de cuidado criado nos grupos de práticas corporais no SUS através de uma vivência do Movimento Vital Expressivo (prática psico-corporal do Sistema Rio Abierto, desenvolvido nos anos de 1960 por Maria Adela Palcos) em consonância com as diretrizes “subjetividade e intersubjetividade em saúde” e “multidimensionalidade e complexidade humana” do Eixo Temático 05 deste Congresso. Para conduzir esta atividade, trabalharemos os princípios básicos do Sistema Rio Abierto, tais como: “desenvolvimento do ser”, “consciência do(s) corpo(s)” e “centros de energia”, para que os participantes possam perceber e sentir sua presença e seu pertencimento em um Universo, através de uma relação de continuidade com o Cosmo e em suas relações com outros sujeitos sociais. Nesse sentido, construiremos um debate sobre o acolhimento, a autonomia, o cuidado coletivo e emancipador, as singularidades e a diversidade de formas de ser e estar no mundo.
Ministrantes: Janaína Alves da Silveira Hallais; Maria do Perpétuo Socorro Miranda Torres.
Dia: 12/10/2017
Horário: 09h às 12h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 05 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Importante: O ministrante solicita que todos os participantes inscritos no minicurso levem consigo colchonete.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Este Minicurso objetiva apresentar os Florais de Saint Germain e a atuação das essências florais como ferramentas de auxílio terapêutico. A abordagem será expositiva/teórica com vivências práticas e apresentação de estudos de casos de depressão e aplicações práticas das essências florais para prosperidade.
Ministrante: Eliane Conceição Santos Locks.
Dia: 12/10/2017
Horário: 15h às 18h
Local: Salão Cedro - sala 01 -Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Este minicurso objetiva apresentar o Johrei enquanto arte terapêutica criada por Mokiti Okada (1882-1955), remontando seu processo histórico de criação e desenvolvimento ao passo em que evidencia seus conteúdos através de um modelo explicativo alicerçado na proposta contemporânea das racionalidades médicas. Com seus fundamentos conceituais semelhantes à concepção vitalista de compreender a natureza, o Johrei foi mundialmente difundido por um viés predominantemente religioso, sob o qual, seu potencial teórico-prático reduziu-se substancialmente. No entanto, observando o atual contexto histórico em que se busca a consolidação das práticas integrativas e complementares no âmbito da atenção à saúde, vislumbramos a necessidade de resgatar os princípios do Johrei enquanto prática terapêutica. Sua cosmologia propõe a existência de uma energia vital composta por três elementos fundamentais (fogo, água, terra) que criam, estruturam e mantém todas as formas do universo em suas mais variadas manifestações (subjetivas e objetivas). Assume que, atualmente, nosso planeta passa por um período de transição entre um ciclo cósmico regido energeticamente pelo elemento água (materialista, negativo, obscuro) e outro ciclo onde o elemento fogo (espiritualista, positivo, iluminado) predominará. No entanto, Okada afirma que, ao logo do ciclo que se finda, o ser humano acumulou considerável quantidade de impurezas em seu corpo espiritual (manifestas no corpo físico como toxinas) como consequência de pensamentos, palavras e atitudes alicerçadas neste ciclo obscurantista, colocando-nos em uma condição de vitalidade reduzida e baixa capacidade de restauração natural da saúde. Neste ponto, Okada intuiu o princípio do Johrei (a primazia do elemento fogo) como um recurso energético para a eliminação das impurezas (espirituais e físicas), promovendo a recuperação integral da saúde através do que ele chamou de “processo purificador”. Observando a Grande Natureza e acompanhando sistematicamente pessoas com diversos tipos de enfermidades, Okada desenvolveu um sistema diagnóstico-terapêutico que converge com seu entendimento sobre o processo saúde-doença na morfologia e dinâmica vital humana, consolidando o Johrei enquanto arte terapêutica que utiliza-se da imposição de mãos para canalizar a energia vital (na qual predomina o elemento fogo) sobre pontos específicos, previamente mapeados.
Ministrantes: Paulo Rodrigo Santos Aristides; Francisco Supino Marcondes.
Dia: 12/10/2017
Horário: 15h às 18h
Local: Salão Cedro - sala 02 -Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 10

MINICURSO TEÓRICO-VIVENCIAL Ementa: A Terapia Comunitária Integrativa (TCI) é uma Prática Integrativa em Saúde (PIS), criada pelo Prof. Dr. Adalberto Barreto da Universidade Federal do Ceará em 1987, no Pirambu, bairro de periferia do município de Fortaleza-CE. É uma prática realizada em grupo, num formato de roda, que objetiva a criação e o fortalecimento de redes de apoio social promovido pela troca de experiências e superação das dificuldades do cotidiano; para isto, mobiliza os recursos e as competências das pessoas nos níveis individual, familiar e comunitário. É uma PIS adaptável aos diferentes contextos regionais do país, sendo viável para distintos contextos e aplicável a diferentes populações, faixas etárias e quantitativo de participantes. Surgiu em um contexto pontual, e ganhou capilaridade por meio da constituição de uma Associação Brasileira de Terapia Comunitária (ABRATECOM) e uma rede integrada de 36 polos de formação em TCI em todas as regiões do país, com aproximadamente 33 mil terapeutas comunitários capacitados no Brasil. A TCI foi inserida, em 2008, dentre as ações da Política Nacional de Práticas Integrativas em Saúde (PNPIC, 2006) e, no Distrito Federal, integra as PIS na Política Distrital de Práticas Integrativas em Saúde (PDPIS, 2014). O Minicurso terá metodologia teórico e vivencial e irá abordar: histórico de criação da TCI; metodologia da roda de TCI; bases teóricas; formação em TCI; expansão da TCI no Brasil e no exterior; TCI nas políticas públicas de saúde; e a vivência de uma roda de Terapia Comunitária Integrativa entre os participantes.
Ministrantes: Doralice Oliveira Gomes; Alexandre Ataerke Rezende; Nair Menezes dos Santos.
Dia: 12/10/2017
Horário: 15h às 18h
Local: Salão Cedro - sala 03 - Praiamar Natal Hotel e Convention.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Este curso tem como objetivo orientar o profissional de saúde para os cuidados com pessoas portadoras de feridas orientando a prescrição para utilização dos recursos seguros das plantas medicinais e fitoterápicos no tratamento de feridas numa assistência complementar em saúde. As feridas crônicas podem ser definidas como aquelas que não cicatrizam espontaneamente em três meses e que apresentam como complicação processos infecciosos, dores em diferentes níveis, podendo ser consideradas feridas complexas quando associadas a fatores patológicos sistêmicos que dificultam a cicatrização. Atualmente é considerado um problema de saúde pública e estima-se que 3% da população são portadores de lesões crônicas, elevando-se para 10% nas pessoas com diabetes. O impacto negativo na qualidade de vida dos pacientes portadores de feridas crônicas é muito grande e se traduz não somente pelo sofrimento físico, mas também o impede de trabalhar, uma vez que algumas lesões permanecem, muitas vezes, abertas por meses ou anos, causando problemas socioeconômicos, tanto para seu portador, como para as organizações e a sociedade. A fitoterapia apresenta recursos eficazes e seguros através de fitoterápicos e plantas medicinais para auxiliar no processo de cicatrização, na realização de curativos e técnicas para o tratamento de feridas. Através deste curso pretende-se incentivar o uso de fitoterápicos e plantas medicinais estimulando o estudo da fitoterapia, permitindo ao profissional de saúde a busca de novos conhecimentos e a perspectiva de novos tratamentos, tornando disponíveis opções preventivas e terapêuticas trazendo benefícios aos usuários portadores de feridas. O conteúdo programático contará com aulas descritivas sobre 1) princípios ativos e aplicabilidade de plantas medicinais em afecções de pele – conceitos básicos; 2)Aplicação segura de fitoterápicos no processo de cuidar em feridas: prescrição e recomendação de fitoterápicos e plantas medicinais; 3) apresentação de casos clínicos.
Ministrante: Silvana Cappelleti Nagai
Dia: 12/10/2017
Horário: 15h às 18h
Local: Salão Cedro - sala 04 - Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Em construção.
Ministrante:Marco Antonio Martins Ribeiro de Almeida.
Dia: 12/10/2017
Horário: 15h às 18h
Local: Salão Cedro - sala 05 - Praiamar Natal Hotel e Convention

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Vários estudos revelam a necessidade e benefícios do toque, sabe-se que ele é capaz de proporcionar a paz, o bem estar, estimular o sistema imunológico, aumentar a quantidade de hemoglobina no sangue e consequentemente o suprimento de oxigênio em todo corpo, melhorando a vitalidade, prevenindo doenças e recuperação de alguma enfermidade. O toque é necessário para a promoção da saúde. Muitas práticas integrativas e complementares utilizam o toque para realização do cuidado. As massagens beneficiam todo o corpo: músculos, glândulas e órgãos. A posição das mãos em determinadas partes do corpo podem aliviar dores em conjunto com a prática eficaz da respiração. As técnicas de imposição de mãos são variadas, algumas possuem embasamento científico, outras são ligadas a espiritualidade e as práticas populares. A imposição de mãos desperta centros energéticos (chakras), a energia vital, harmonizando o organismo, acalmando a mente, aliviando o estresse, proporcionando relaxamento devido a intensificação do fluxo energético corporal. Dentre estas práticas o abraço está inserido na cultura popular, possuindo capacidade de aliviar tensões, com benefício mútuo. O controle do prana (força vital) através de práticas respiratórias leva os praticantes a liberar a ansiedade, cansaço físico e mental. Objetivamos: apresentar técnicas de imposição de mãos, despertando para a prática do toque energético; orientar como fazer a automassagem, dialogando sobre os benefícios desta prática; praticar o abraço como acolhimento do outro e ampliação da autoestima; ensinar mudras que auxiliam na redução de dores, alívio da ansiedade e estresse, por meio da condução da respiração consciente (controle do prana); relembrar a cultura popular e origem destas práticas.
Ministrantes: Luciana Rodrigues Cordeiro; Lélia Maria Barboa Pessoa.
Dia: 12/10/2017
Horário: 14h às 17h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 01 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Os estudos Física quântica relacionados a consciência nos permite perceber uma gama de infinitas possibilidades, e espaços ainda a serem desenvolvidos em áreas cerebrais despertando para mais criatividade, e estados mais elevados de vibração,que nos deixa mais em equilíbrio, e consequentemente auxiliando na saúde integral: mente, corpo. As Técnicas de Desenvolvimento de Poder Mental através das práticas de meditação serão abordadas de forma simples, com um conteúdo, teórico e prático.
Ministrantes: Paulo Ricardo Caetano da Silva; Rafaela Kleinhans Pereira.
Dia: 12/10/2017
Horário: 14h às 17h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 02 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Debater sobre as interfaces e ações de fortalecimento para a Política Nacional de Educação Popular em Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (PNEPS-SUS) e a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPICS). A PNEPS-SUS é uma prática voltada para a promoção, a proteção e a recuperação da saúde a partir do diálogo entre a diversidade de saberes, valorizando os saberes populares, a ancestralidade, a produção de conhecimentos e a inserção destes no SUS. Suas práticas e metodologias possibilitam o diálogo entre trabalhadores e usuários, entre as equipes de saúde e os espaços das práticas populares de cuidado, entre o cotidiano dos conselhos e dos movimentos populares, ressignificando saberes e práticas. A EPS propõe ações em eixos estratégicos, destacando-se o eixo do Cuidado em Saúde que busca refletir a compreensão ampliada do cuidado em saúde, reforçar o reconhecimento e a convivência dos modos populares de pensar, fazer e gerir a saúde, promovendo o encontro e diálogo destes com os serviços e ações de saúde. A PNPICS está em consonância com a PNEPS-SUS, pois ambas buscam integrar os saberes técnicos-científicos com os saberes populares. Todas as ações decorrentes das políticas nacionais voltadas à integração das práticas integrativas e complementares no SUS perpassam pelo entendimento e valorização da multiculturalidade e interculturalidade, por gestores e profissionais de saúde, em busca da equidade e integralidade da atenção em saúde. Sendo assim, fortalecer as práticas integrativas e populares de cuidado implica apoiar sua sustentabilidade, sistematização, visibilidade e comunicação, no intuito de socializar tecnologias e perspectivas integrativas, bem como, aprimorar sua articulação com o SUS. A atividade começará com o acolhimento, uma prática de cuidado e apresentação dinâmica dos participantes. Em seguida, três participantes farão uma fala introdutória e provocativa aos temas: a) Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares; b) Política Nacional de Educação Popular em Saúde e o Eixo Cuidado em Saúde; c) Ações e práticas integrativas e populares – construindo um novo jeito de fazer saúde. Em seguida, o debate segue circulando em rito de roda de conversa e ao final será realizada a avaliação da atividade.
Ministrantes: Julimar de Fátima Barros; René de Sousa Moura; Etel Matielo.
Dia: 12/10/2017
Horário: 14h às 17h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 03 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: A atividade tem o objetivo de apresentar o modelo vitalista da Medicina Tradicional Chinesa, dentro do contexto das Práticas Integrativas e Complementares, para que o participante possa compreender como trabalhar a promoção e o manejo de sua saúde vivenciando algumas de suas terapias. Serão abordados os seguintes temas: Processo saúde-doença: por que adoecemos; A visão oriental da saúde: modelo holístico-vitalista; Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares; Auto-cuidado e empoderamento em saúde; Fundamentos da Medicina Tradicional Chinesa para a saúde; Principais vantagens, indicações e contra-indicações segundo as evidências científicas; Meditação; Acupressão; Terapia auricular; Qigong; Prática individual e coletiva.
Ministrantes: Bernardo Diniz Coutinho; Rogélia Herculano Pinto.
Dia: 12/10/2017
Horário: 14h às 17h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 04 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Importante: O ministrante solicita que todos os participantes inscritos no minicurso levem consigo colchonete ou toalha para forrar o chão, algodão e alcool a 70%.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: Um estudo da Universidade de Harvard “A Wandering Mind Is an Unhappy Mind – Matthew A. Killingsworth and Daniel T. Gilbert) aponta que em 46,9% do nosso tempo, nós não estamos prestando atenção no que estamos fazendo. Essa informação, por si só, já nos instiga a questionarmos: então, onde estamos colocando a nossa atenção no restante do tempo? A nossa proposta de minicurso é uma introdução a mindfulness e à técnicas de autoconhecimento, trazendo uma abordagem experimental e teórica desse método milenar, que está cada vez mais forte nas práticas integrativas e complementares na saúde do ser humano. Além disso, através de alguns exercícios práticos, faremos uma correlação de mindfulness com o autoconhecimento e a importância de práticas que ampliam a autopercepção do sujeito em diversos âmbitos da sua vida. O objetivo principal é que o participante experiente a técnica e possa entender os principais aspectos de como a atenção e a percepção são importantes em seu desenvolvimento.
Ministrantes: André Luiz Barros Britto Andrade; Camila Vorkapic.
Dia: 12/10/2017
Horário: 14h às 17h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 05 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

Ementa: A meditação é uma prática espiritual e de cura que tem uma história de mais de 5000 anos, não possuindo uma origem específica em região ou povo, tendo sido desenvolvida em várias culturas diferentes. Atualmente, a meditação está sendo utilizada como medicina complementar no Sistema Público de Saúde de vários países. A técnica meditativa utiliza o artifício de autofocalização (“âncora mental”) para evitar sequências indesejadas de pensamentos, torpor, sono e estado de transe. O estado meditativo é alcançado quando o praticante faz contato com conteúdos internos sem análise, sem objetivo precípuo, sem expectativa e sem participação sensorial. O National Center for Complementary and Alternative Medicine (NCCAM), órgão ligado ao National Institutes of Health (NIH) investigou os efeitos da prática meditativa. Nessa pesquisa eles constataram que o recurso terapêutico reduziu as visitas aos médicos. No Brasil, o Ministério da Saúde, a prática é aprovada desde 2006 (Portaria nº 971). O objetivo geral deste minicurso é oferecer condições teóricas e metodológicas que permitam o uso de técnicas de meditação na atenção à Saúde como prática complementa. Este minicurso tem o seguinte conteúdo programático: as contribuições da Ciência para aplicação de meditação na atenção à saúde; os benefícios psicofisiológicos da meditação na atenção a saúde; como aplicar as técnicas de meditação na saúde como prática complementar; e métodos de técnicas meditativas nos distúrbios de ansiedade. A meditação como estado de consciência, os tipos de meditação, técnicas para administrar os distratores do corpo, técnicas para administrar os distratores do estado emocional e técnicas para administrar os distratores da mente.
Ministrante: Kelly Cristina Fernandes Rocha.
Dia: 12/10/2017
Horário: 14h às 17h
Local: Departamento de saúde coletiva - Sala 06 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Importante: O ministrante solicita que todos os participantes inscritos no minicurso levem consigo colchonete.

Carga Horária: 3h

Vagas Disponíveis: 0

TOP